Ação judicial garante testes na termelétrica Mauá 3

Uncategorized

Para que os testes da termelétrica Mauá 3, no estado do Amazonas, pudessem começar, a Eletrobras iniciou uma questão judicial com a Petrobras. O valor orçado desse empreendimento ficou em 1,7 bilhão de reais, com previsão para iniciar as suas operações no mês de junho, mas ainda está encontrando dificuldades para conseguir um contrato garantindo a compra de gás, já que a Eletrobras tem dívidas altíssimas com a petroleira.

A petroleira vinha repetindo que não iria abastecer a usina, devido às grandes dívidas da Eletrobras em outros contratos, mas ela foi submetida por decisão liminar, a abastecer a usina, com o combustível necessário para os testes da térmica no Amazonas.

Em nota à Reuters, a Petrobras afirmou que vai cumprir a determinação judicial, fornecendo gás natural para os testes da usina e para fins de comissionamento. Declarou também, que a companhia vai continuar com medidas administrativas e também judiciais, para garantir os seus interesses e de investidores.

Em seu balanço trimestral, a Petrobras registrou o valor de 9,8 bilhões de reais para receber de contas do Grupo Eletrobras, sendo que 8,2 bilhões são da unidade da Eletrobras do Amazonas.

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) concedeu a autorização para o começo dos testes do primeiro equipamento de Mauá 3, podendo começar no dia 1° de junho. Depois de pronta, a usina precisará de cerca de 590 megawatts, mas para essa primeira fase, ela vai precisar de 190 megawatts.

Essa decisão obriga a petroleira a fazer somente o abastecimento para os testes, sendo que ela não será obrigada a fornecer combustível, quando ela estiver pronta.

Em fevereiro, a agência Reuters fez uma publicação, informando que a Petrobras não iria fazer o fornecimento para à usina de Mauá 3, devido à falta de pagamento da unidade no Amazonas e das outras unidades da estatal em alguns contratos.

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr., tem declarado desde o final do ano, que a empresa tem procurado um entendimento em relação as dívidas com a petroleira, sendo prioridade buscar uma solução, e que o assunto está sendo negociado diretamente com Pedro Parente, CEO da Petrobras.

Todas as subsidiárias da Eletrobras, inclusive a Amazonas Energia, estão com previsão de serem privatizadas até o final desse ano, e essa pendência com a Petrobras, precisa ser resolvida para garantir a viabilidade desse processo de privatização.

A usina Mauá 3 tem uma grande importância  para a região , devido ao fato de que ela irá substituir outras com produções mais caras e poluentes, que são abastecidas com óleo diesel.

O início da construção dessa usina foi em 2012, tendo recebido o valor de 1,15 bilhão de reais em aportes, sendo que a estimativa da Eletrobras para o começo das operações, foram marcadas para o próximo mês.