De vendedor de geladinhos a empresário milionário do ramo de açaí

Posts

Algumas pessoas, seja por comodismo ou por falta de melhores oportunidades, acabam não melhorando de vida, ficando então no mesmo nível socioeconômica da sua família, ou até decaindo. Outros, porém, tomam um caminho que é exatamente o oposto disso, como é o caso Jefferson Domingos, apesar dos altos e baixos. Quem conhece, hoje em dia, esse empresário que fatura R$ 20 milhões anuais com a venda de açaí, não imagina que ele saía vendendo geladinhos feitos de suco em pó, aos domingos, quando garoto.

E essa tendência de empreendedorismo parece ter sido herdada da sua família, como forma de vencer as dificuldades na cidade de Cambuí, interior de Minas Gerais. À época citada, sua mãe então produzia bichos de espuma para comercializá-los, enquanto o seu pai vendia autopeças trazidas de São Paulo, como ambulante, de loja em loja da cidade.

Daí em diante, ele foi crescendo e diversificando-se nos negócios, seja com a venda de flores em frente a um cemitério, seja com uma banda de música própria, com a qual obteve até certo sucesso financeiro. Mas a sua rede de franquias Açaí Villa Roxa, hoje tão bem sucedida, como logo veremos, só foi iniciada porque antes ele passou por uma situação de endividamento extremo. Em suma, na crise, alguns desistem, enquanto outros criam novas possibilidades.

Aconteceu que Jefferson Domingos deu início a grandes negócios envolvendo organização de festas e shows na cidade, mas acabou endividando-se demais, em vários lugares, numa soma total de R$ 268 mil. Isso não só o prejudicou como profissional, como também sujou a sua reputação em toda a cidade.

Prometendo pagar toda a dívida em até dois anos, resolveu tornar-se vendedor de açaí, isso em 2008, quando ainda era mais uma novidade entre os adeptos de uma alimentação saudável. E no fundo de um prédio, local cedido por um amigo, ele montou o seu primeiro ponto comercial.

Com a estratégia de guardar 50% do lucro e usar a outra metade para ir pagando as dívidas, já no primeiro mês, faturou R$ 100. E, incrivelmente, nos dois anos prometidos, não só pagou toda a dívida, como também abriu mais cinco lojas e comprou uma fábrica no estado do Pará. Com esse investimento, além de estar presente em vários locais, também pôde garantir, com um menor custo, o abastecimento em larga escala dessas franquias.

Desse modo, o homem que um dia foi mero vendedor de geladinhos e de flores, e que também já esteve “com a corda no pescoço” de tantas dívidas, é atualmente exemplo de empreendedor, com suas 31 franquias e faturamento anual de R$ 20 milhões. Isso sem contar mais duas fábricas de açaí, sendo uma no Amapá e a outra na sua cidade de origem, Cambuí, situada no estado de Minas Gerais.