Empresa chinesa quer aumentar a importação de soja de Mato Grosso – mas cobra do governo investimentos em infraestrutura, destaca Felipe Montoro Jens

economia, investimento

No início de novembro de 2017, a Cofco Alimentos – maior empresa de produção de alimentos da China – esteve em reunião com o governador do Mato Grosso (MT), Pedro Taques, para falar sobre as intenções de aumentar a compra de soja que é feita do Estado. Os diretores da companhia ressaltaram que a corporação chinesa planeja, em cinco anos, aumentar o número de toneladas importadas de MT – de quatro milhões para 7,2 milhões. Para tanto, eles reivindicaram ao governo investimentos em infraestrutura, salienta o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens.

“Brasil e Mato Grosso são muito importantes na nossa estratégia. Queremos ser parceiros do Estado e quanto mais investirmos mais empregos iremos criar e mais impostos vamos pagar, o que vai beneficiar o Estado”, ressaltou o vice-presidente e diretor executivo da Cofco Internacional, Jingtao Chao.

A China importa, atualmente, um total de 120 milhões de toneladas de soja – desses, 30 milhões são importados através da Cofco que, por sua vez, possui 19 armazéns de produção no Brasil, sendo que, 13 deles estão no estado mato-grossense. Os diretores da empresa chinesa pedem, em especial, a conclusão da BR-163, uma das principais vias que colabora para o escoamento da produção nacional, reporta Felipe Montoro Jens.

Situação de Mato Grosso

Hoje, MT produz em torno de 30 milhões de toneladas de soja e, em cinco anos, pode chegar a 50 milhões. No entanto, Felipe Montoro Jens acentua que existe a consciência de que, para isso, os investimentos em infraestrutura precisam ser feitos. De acordo com o governador Taques, a intenção dos produtores é mesmo ampliar a produção – no entanto, de maneira responsável, tanto no que se refere à qualidade quanto no que diz respeito ao meio ambiente.

“Essa missão é muito importante para Mato Grosso. Estamos abrindo as portas para novos relacionamentos. A Cofco já mostrou seu interesse por nosso Estado e pode fazer de Mato Grosso o Estado plataforma da empresa no Brasil”, avaliou Pedro Taques.

Para a Associação dos Produtores de Soja e Milho

Felipe Montoro Jens enfatiza, ainda, que, de acordo com o diretor executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), Wellington Andrade, o relacionamento brasileiro com a empresa chinesa é bastante positivo. “Em cinco anos, eles [a Cofco] vão praticamente dobrar a compra de grãos de Mato Grosso. É uma gigante do mercado e quer ter contato direto com os produtores. Além disso, também quer ser parceiro da Aprosoja no projeto Soja Plus, que orienta os produtores no cumprimento de legislação ambiental e trabalhista”, ponderou Andrade.

Constituída por produtores rurais ligados às culturas de soja e milho, a Associação dos Produtores de Soja e Milho é uma entidade representativa de classe, sem fins lucrativos, explica o especialista em Projetos de Infraestrutura Felipe Montoro Jen. Ela tem por finalidade unir a classe e valorizá-la.

http://institucional.ae.com.br/cadernos/releases/?id=ampkNEpoRVlJelM5QTE5TWQ0RzlyQT09