O empreendedorismo como saída da crise

Posts

O público brasileiro com certeza é um dos mais criativos do mundo, e para isso ele tem uma grande engenhosidade, a qual tem feito uso contínuo da mesma para conseguir contornar a situação de crise, que perdura desde 2016, e tem tirado o sono daqueles que tinham um emprego fixo e uma suposta estabilidade financeira. Por sua vez, ao verificar que o mercado de empregos no Brasil já é preconceituoso por natureza com as pessoas de idade mais avançada, é comum ver muitas pessoas pegarem suas rescisões e valores acumulados na poupança para abrirem o próprio negócio como empreendedores.

As pessoas que queiram se lançar no mercado de empreendedorismo e não possuem tantos recursos financeiros para abrirem grandes negócios, eles podem trilhar um caminho mais modesto, na qual podem fazer parte do sistema em que serão enquadrados como MEI – Microempreendedor Individual. E assim, por terem uma menor margem de lucro poderão estar legalmente exercendo suas atividades, em que por meio do Portal do Empreendedor é possível escolher dentre várias atividades profissionais, e terem a obrigação de recolher uma pequena tributação de impostos ao governo, que são valores bem baixos diante da série de benefícios que os assegurados terão acesso, que vão desde auxílio doença até aposentadoria.

O MEI é caracterizado por ser o profissional registrado em uma das várias atividades primárias e / ou secundárias no Portal do Empreendedor, e que consegue um faturamento de até 81 mil reais por ano, sendo obrigatório respeitar as cláusulas do regimento, onde é proibido que o mesmo tenha vínculo como sócio ou vínculo direto sob ter domínio de quaisquer outros negócios, ter o limite máximo de um único funcionário para ajudar, e estar devidamente registrado em carteira de trabalho.

Dentre as vantagens que se têm em se tornar MEI são: Aposentadoria por idade ou invalidez, salário – maternidade, auxílio – doença, pensão por morte para os familiares do MEI, CNPJ (cadastro nacional de pessoa jurídica), possibilidade de emitir nota fiscal, prestar serviço para grandes empresas e para o governo e conseguir crédito juntos aos bancos para ter maior facilidade em realizar empréstimos ou alguma atividade junto aos bancos. Essas são somente algumas das vantagens, de modo que fica obrigatório o pagamento das vias de contribuição referente ao INSS, ao ICMS ou ISS.