Pesquisa revela que donos de e-commerce enfrentam problemas nos primeiros meses

Posts

Resultado de imagem para loja virtual

A maior parte dos interessados em começar um próprio negócio online pensam da mesma maneira: elaborar um site, investir em marketing e não ter mais que aturar um chefe, vivendo o resto da vida livre de preocupações e ganhando bem. A realidade que se espera é completamente diferente da realidade vivida por empreendedores de e-commerce.

O sucesso no e-commerce depende de muita dedicação, know-how, planejamento e investimento. Bruno Pinheiro é empreendedor digital e autor do livro “Empreenda sem Fronteiras”. “Algumas causas de fracasso se originam na ilusão de que o negócio virtual precisa de pouco investimento, análise e pesquisa. É muito comum errar na compra de ferramentas e ter falhas graves no atendimento”, completa Bruno, especialista em e-commerce.

Segundo dados levantados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística, o número de empresas que fecharam as portas e não conseguiram permanecer um ano ativas no mercado, é de 22% do total de empresas de e-commerce criadas em 2016.

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae, apontou que 71% dos empresários que se envolvem com e-commerce enfrentam dificuldades logo nos primeiros meses, sendo que os primeiros 12 meses é um divisor de águas para essas empresas.

Segundo afirma Pinheiro, é extremamente importante que vários pontos sejam levados em conta. Muitos desses pontos são mitos e devem ser esclarecidos de uma vez. O principal mito que deve ser esclarecido é o de investimentos zero.

Muitos que se aventuram a criar uma empresa de vendas pela internet enxergam que isso é possível ser feito sem investimentos. Mas, um plano de negócios é fundamental para essas empresas, assim como qualquer outra. “Existem empreendedores que querem economizar no website, ao utilizar algumas plataformas que não possuem indexação orgânica no Google”, explica Pinheiro.

A mentalidade do investidor em negócios físicos e digital deve ser a mesma, explica Pinheiro. No mínimo, um capital de giro para manter o necessário e fundamental para a empresa poder fluir com suas atividades deve ser levantado antes de ela sair do papel. No caso de um negócio digital, serão utilizadas ferramentas, domínios e marketing promocional de seus produtos. São valores que devem ser inclusos e investidos desde o início deste empreendimento.