Relembre a história de Cassio Audi na famosa banda de heavy metal Viper

Posts

O grupo Viper atingiu o sucesso em meados dos anos 80 após uma longa trajetória no mundo da música. Nos primeiros anos de carreira, por exemplo, a banda era formada pelos músicos Felipe Machado, Pit Passarell e Yves Passarell, que eram vizinhos no bairro de Santa Cecília. Para os três, um dos primeiros desafios foi decidir qual seria o nome ideal para o grupo, tendo sido cogitadas opções como Dragon e Rock Migration.

Enquanto já fazia as suas primeiras apresentações para o público, o grupo optou por investir grande parte do que ganhava na compra de instrumentos melhores e também na profissionalização dos seus membros. Com toda essa experiência conquistada ao longo do tempo, os músicos notaram que fazia falta um bom baterista ao Viper, sendo esse o fator que levou a junção de Cassio Audi a formação original da banda.

No ano de 1984, o grupo já possuía fãs e uma carreira em ascensão devido ao fato de ter participado de alguns festivais de novos talentos, nos quais conquistou inclusive boas colocações. Nessa mesma época, o vocalista Andre Matos também foi convidado a se unir aos músicos Pit Passarell, Cassio Audi, Yves Passarell e Felipe Machado, o que representou uma nova fase para a banda.

Com esses integrantes, o Viper firmou seu primeiro contrato, com a Rock Brigade, o que foi importantíssimo para que o grupo produzisse o seu primeiro trabalho de estúdio, chamado “Soldiers of Sunrise”. Depois de chegar as lojas em 1987, o álbum conquistou o público com músicas como “Knights of Destruction” e “Signs of the Night”, as quais se destacara por seu ritmo interessante e letras que prendiam o público que é fã do heavy metal.

Na canção que dá o título a esse trabalho, “Soldiers of Sunrise”, o que mais chamou a atenção foram as variações musicais, que demonstra uma evolução surpreendente, com destaque para a bateria de Cassio Audi, que lidera o ritmo contagiante da música. Assim, o primeiro trabalho de estúdio da banda obteve um sucesso comercial acima do imaginado e projetou a banda em outras partes do globo. Isso ainda influenciou o Viper a assinar com a Eldorado, uma gravadora maior e mais influente.

Com fãs no Brasil e no mundo, especialmente na Ásia e no Japão, a banda chegou a fazer diversos shows no exterior. Entre os admiradores japoneses, o Viper superou metas importantes e vendeu mais cópias do que grupos consagrados, como o Nirvana. Esses fatores fizeram com que Andre Matos, Cassio Audi, Felipe Machado, Yves Passarell e Pit Passarell se estabelecessem entre os grandes símbolos do heavy metal no país, sendo muito lembrados até os dias de hoje pelo público.

Em retrospectiva, o imenso prestígio da banda foi uma consequência da união de talentos únicos, que em conjunto criaram músicas cheias de personalidade, inclusive popularizando esse estilo musical no país. Como destaque especial, a bateria de Cassio Audi e a guitarra de Yves Passarell são considerados os pontos altos que contribuíram para a enorme projeção do Viper no Brasil e no mundo.