Um programa criado pelo Sebrae possibilita que aposentados e empreendedores trabalhem juntos

Posts

Bancários e aposentados estão atuando como consultores de créditos em micro e pequenas empresas. Isso é resultado de um projeto do Sebrae que permite a recolocação desses aposentados no mercado de trabalho para ajudar jovens empreendedores a ampliar seus negócios com segurança.

A fábrica de sorvete do empresário Diego Haro, tem mais de 30 anos, nos últimos 8 anos o crescimento foi acentuado e agora com a ajuda do aposentado Valdir Guilherme, ele quer aperfeiçoar ainda mais os negócios. “A experiência dele permitiu crescermos 3 anos em 1 ano devido a tudo que ele tem passado para nós”, diz Diego.

O aposentado e consultor do Sebrae, Valdir Guilherme, se aposentou a dois anos e quer dividir o conhecimento que adquiriu em 42 anos de experiência trabalhando em bancos, além de se manter ativo. “Eu espero receber justamente mais conhecimento, estar sempre aprendendo e para o Diego, vou tentar passar a minha própria experiência no intuito de possibilitar um crescimento mais acentuado de sua empresa”, diz o Sr. Valdir.

Profissionais experientes nem sempre são valorizados no quadro de funcionários de empresas. Uma pesquisa feita por um site de busca de empregos revela que a procura pela recolocação no mercado de trabalho entre as pessoas com mais de 60 anos, pulou de 48% para 72% nos últimos 5 anos. O interesse aumentou inclusive entre os aposentados, e foi pensando neste público que o Sebrae desenvolveu um projeto do qual participam o Sr. Valdir e o Diego.

O projeto se chama “Senhor Orientador” e já credenciou 426 bancários aposentados em todo o país como consultores de créditos em micro e pequenas empresas. A consultoria tem 4 horas de duração e ao longo dos 20 meses de contrato, cada consultor faz até 200 atendimentos para receber até R$ 5 mil/mês pagos pelo Sebrae.

O empreendedor não paga nada. O modelo já mostra bons resultados com Diego e o Sr. Valdir, de um lado a energia de quem está começando, do outro, a sensatez e o conhecimento de quem já viu o sucesso e o fracasso de muitos negócios. Uma equação que tende a dar certo.

“Ele veio, apresentou toda uma bagagem que tem, toda uma experiência muito grande e de tudo que me foi passado, existe muita coisa pra nós melhorarmos ainda. Se levarmos em conta um profissional bem-sucedido, que tem a ferramenta principal para atuar em um nicho específico de negócios, somando tudo isso a uma grande experiência, essa sem dúvidas é uma grande possibilidade de muitos negócios expandirem pelo país. Com certeza as micro e pequenas empresas devem procurar o Sebrae para poderem participar desse e de outros planejamentos empresarias disponíveis”, disse Diego.

“A minha expectativa de tentar ajudá-lo e fazer ele conseguir alavancar sua empresa é boa”, reforça Sr. Valdir.